02 janeiro 2005

Tivemos alguns progressos depois que diminuimos a dose do Prolopa, e que comecei a aplicar massagens no meu pai. Mas, só vou contar quando puder ler o depoimento de vocês aqui. Sinto como se estivesse falando com as paredes!

Feliz 2005 para todos vocês também!!!

2 comentários:

Sede Regional disse...

Minha mãe está com parkson e eu o filho caçula, estamos desesperados. Minha mãe sempre foi guerreira, forte e agora está inerte, esperamos uma cura da parte do nosso Deus. Ela está agora tomando meio comprimido de prolopa, antes tomava akineton.

Anônimo disse...

Minha mãe foi diagnosticada com Alzheimer há um ano, toma exelon. Agora está tendo sintomas de Parkinson. Ela tmb sempre foi guerreira, lutadora...
Ela consulta com um geriatra muito conceituado. Resolvemos levar em um neurologista e ele receitou prolopa 200/50. Ele disse que ela tem Alzheimer, mas com uma "vertente" do Parkinson. Por enquanto, a dose está pequena, pra ver se ela suporta bem. 1/4 do comprimido 2x ao dia. Ela está muito confusa, mas o que mais dói o coração e que ela ainda tem esperanças de se curar.