15 agosto 2005

Olá, pessoal... tudo certinho?
Aqui sem muita novidade. Daqui a três dias vou levar meu pai ao neurologista, para ver o que ele diz.
Nestes últimos dois dias ele está melhor... ou melhor, ele fica boa parte do dia sem falar sozinho, e sem pensar que tem alguém falando com ele. Está menos agressivo também. Mas, algumas coisas permanecem. Continua achando que está numa instituição, que a casa não é dele e nunca acerta para que lado do corredor quer ir: se quarto ou banheiro.
Também não procura mais o alimento, se minha mãe não der na mão, ele não come... será que ele não sente fome ou será que não tem força para pedir ou pegar? Nem dá para perguntar, pois toda pergunta que fazemos ele responde com uma estória mirabolante sobre "uskara" (quem acompanhou os depoimentos iniciais, sabe do que estou falando).
Eu queria encontrar um local onde ele pudesse passar o dia, fazendo atividades diversas, como terapia ocupacional, hidroginástica ou algo que mexesse com seu corpo e com sua mente... mas aqui em Salvador ou é caro ou não tem tudo no mesmo lugar.
Tem até um centro de referencia de atendimento ao idoso do governo estadual. Tem programa para acompanhamento de pessoas com mal de parkinson, porém a idade limite é 70 anos. Desistimos.
Contratar alguém que possa levá-lo de um lugar a outro para cumprir as atividades ficaria muito caro para a gente... o jeito é ele ir fazendo em casa, quando dá vontade.
E vocês? Como têm se saído para driblar os sintomas do MP? Não tô falando de Medida Provisória nem de Ministério Público!
Beijos a todos e um bom início de semana.

Nenhum comentário: