13 março 2006

Boa noite, pessoal... Obrigada pelas palavras no comentário do meu último depoimento.
Bom, meu pai saiu do hospital, mas está na cama desde então. O médico ortopedista disse que ele já pode andar, mas as pernas estão permanentemente dobradas, e ele não parece querer fazer muito esforço para firmá-las, talvez com medo de sentir dor.
A escara está sendo tratada por uma grande amiga de minha mãe, que trabalha como auxiliar/técnica de enfermagem que tem nos prestado este favor todos os dias e sem querer receber nenhum tostão por isto. Ainda existem pessoas desprendidas e boas no mundo, graças à Deus, senão estaríamos em um apuro danado.
Já está começando a formar nova carne, e espero que logo ele esteja livre daquele ferimento horrível e possa voltar a sentar.
Estamos aguardando a liberação do convênio de uma equipe multidisciplinar para fazer o tratamento em casa. Tenho certeza que com a fisioterapia ele vai melhorar bastante.
Fica meio confuso de vez em quando, mas hoje está legal. Conversando, comendo... é uma pena que não seja sempre assim.
Mas, quando ficou muito triste ou sem rumo eu lembro de que cada um recebe o cobertor conforme o frio. Tenho certeza que deveríamos passar por esta privação para resgatar alguma coisa, e tento não descontar em ninguém. É difícil às vezes, principalmente quando vemos outros filhos, irmãos, parentes, se esquivando até de uma visita, quando mais oferecer ajuda.
Mas, tem nada não... no final disto tudo teremos aprendido uma lição e sairemos de alma lava pelo dever cumprido aqui na Terra, mesmo que já não estejamos todos juntos mais por aqui.
Outra coisa que já deixei de fazer é ficar perguntando "porque comigo? Porque com ele?", aceito apenas... e vamos ver o porque depois, na hora certa.
Beijo a todos, fiquem bem!!