12 julho 2006

Boa noite.

Continuando a saga... Desde que fraturou o femur e fez a cirurgia, meu pai não andou mais. A perna que foi operada ficou permanentemente semi dobrada. Apesar de que no hospital ele estirava normalmente.
Mas depois que voltou para casa ele começou a ficar com as pernas dobradas e foi ficando assim, mesmo com o trabalho da fisioterapeuta que atende duas vezes por semana lá em casa.

Estou tendo dificuldade também para conseguir um neurologista que possa fazer o atendimento em domicílio. Aqui em Salvador tudo é muito burocrático, e dificuldade é palavra padrão.

De umas duas a três semanas ele tem acordado à noite totalmente fora da realidade, sempre achando que tem ladrão em casa, e acusando todos nós de ladrões.

Aliás, desde que ele foi piorando a doença sua fixação por dinheiro têm aumentado.

Tá fogo!

Beijos a todos, mandem notícias do dia a dia de vocês.

Reni