07 janeiro 2011

Depoimento da Olivia Marinho, nossa amiga de Portugal e dos bate papos semanais

Ola Boa noite, este testemunho saiu na nossa revista de parkinson:


Caros amigos e companheiros desta Associação em que partilhamos uma coisa em comum, o Parkinson.

Quero-vos dizer que o que eu senti pela primeira vez, assim a sério, mas que ainda não sabia que era ele que tinha chegado, foi quando eu um dia entrei num palco a dançar folclore e de um momento para o outro não consegui coordenar os movimentos ao ritmo da música, deixando de dançar uma dança das mais simples, depois controlei-me e lá consegui acabar a dança e continuei a actuação de folclore, mas no fim eu tremia toda por fora e por dentro, sem me conseguir controlar, e ainda achando que tinha feito uma figura ridícula

Eu sou a Olívia, tenho 43 anos e á sete foi-me diagnosticado doença de Parkinson.

A vida prega-nos cada partida!

Depois de muitos sacrifícios que já a vida exige de nós, eu que ainda sou nova e que tenho muito para dar e receber, aparece-me uma doença que de princípio só deveria aparecer, e era se aparecesse lá pelos 60 ou mais.

O certo é que ela está cá e eu tenho que viver, com altos e baixos, é certo, pois estou numa nova fase da minha vida, digo nova, porque é tudo realmente novo, tanto no meu corpo como na minha mente, é duro mas não me vou deixar vencer, quanto muito pode me limitar fisicamente mas a minha cabeça está muito bem, racionalmente, porque emocionalmente ás vezes vai-se abaixo, os dias estão cinzentos, mas por sorte ainda há alguém atento e me ajuda a colori-los, outras vezes sou eu que dou cor aos dias dos outros.

Não me esqueço que tenho Parkinson, mas posso enganá-lo, divertindo-me, passando o tempo em coisas que ocupem a minha mente e assim provar que ainda faço muito.

Faço teatro amador, faço parte de um grupo folclórico, ajudo a organizar eventos na nossa associação, ás vezes apresento espectáculos, tenho-me testado e sinto que por hora não estou a perder, é esse o lema.

Cada dia é um dia, não quero pensar a longo prazo, não posso mesmo, isso seria desesperante, para ser feliz tenho de me conformar e viver o dia a dia.

Sou nova, tenho ainda muitos sonhos, não posso baixar os braços, é duro, reconheço, mas também fico contente comigo mesma por sentir que não me dou por vencida.

Se formos fortes o que nos derrubaria num ano, passa a ser em dois ou três.

Tenho esperança na vida, na medicina, nos amigos, tenho esperança de ser uma felizarda e um anjo me guie sempre e me leve pela mão no caminho da luz e nunca no desespero.

Quero viver sempre com um sorriso nem que ele esteja só na minha cabeça ou no meu olhar.

Olivia Marinho

7 comentários:

soninha disse...

Cabeça erguida e bola pra frente...parabéns!bjs

olivia disse...

obrigada pela força beijinhos

Rosa costa disse...

Parabéns pela coragem e força. Não deista nunca de ser feliz e viver tua vida como ser possível. Minha mãe tem esta esta doença há mais de 12 anos. Está relativamente bem considerando idade 83 anos e condições fisicas.
Olivia viva sempre com dinamismo, coragem, alegria e fé. Faça muito teatro, leia, caminhe e não pare de acreditar que é possivel ser feliz e ter uma vida com algumas restrições. Parabéns.

Marcia disse...

Vc me emocionou muito, divido contigo a mesma dor, só quem passa o que passamos com nossa idade pode sentir o que sentimos, nossos medos, nossas incertezas, mas tenhamos fé, tenhamos força... BOA SORTE...
Beijo
Marcia
BAURU/SP

efigenia disse...

q legal intereesante
e isto ai continue asim
vc e nova tem uma vid ainteira pela frente
bjs gena de bh

Anônimo disse...

Boa noite gostava apenas que me respondesse se a doença de parkinson provoca desiquilibrios e quedas? Obrigado

linda disse...

Meu nome é nans Meu namorado e eu estávamos felizes, tanto quanto eu poderia dizer e eu nunca pensei que iria quebrar-se. Quando seu primo morreu em um trágico acidente de carro, ele voltou para a Philippine por uma semana para estar com sua família. Eu não podia ir porque eu estava no meio de entreter os clientes fora da cidade para o trabalho. Ele não parecia estar chateado que eu não poderia ir, então eu deixá-lo ser. A próxima coisa que eu sei, ele reconectado com um velho amigo de escola que ele tinha uma queda por anos e eles começaram a ter um caso! Eu não tinha idéia do que estava acontecendo até que um mês depois que ele voltou de Philippine.He passou a ver a ela e eu até que eu peguei ele testando ela uma noite. Eu confrontei-o e ele me disse a verdade sobre o que aconteceu. Nós terminamos e fomos nossas maneiras separadas. Nenhum de nós lutaram para o nosso relacionamento. Eu estava com raiva e decidiu não ficar chateada com isso e apenas mantê-lo em movimento. Em seguida, após cerca de um mês de não falar com ele eu fiquei triste. Eu queria que ele me diga que ele queria ficar comigo e não ela. Entrei em contato com Dr.okojie por um feitiço de amor e ele totalmente me ajudou! ele foi capaz de levá-lo a me perder para onde ele queria voltar a ficar juntos novamente. Ele tinha um monte de arrependimentos e me senti mal por não lutar para me manter e para fazer batota em geral. Ele valoriza a nossa relação muito mais agora e estamos juntos agora! Você também pode obter o seu amor de volta com a ajuda de Dr.okojie em contato com ele através de seu e-mail: drokojiehealinghome@gmail.com