13 fevereiro 2016

O PORQUÊ? RESOLVI INTERNAR MINHAS IRMÃS EM UMA CASA DE REPOUSO!!!

É  realmente muito estressante o cuidar de uma pessoa com Parkinson, devemos saber primeiramente ver tudo com naturalidade e entender que o amor daquele ente querido que um dia cuidou de nós com muito carinho  suplanta qualquer dificuldade.


Eu costumo dizer que tudo "vem na bandeja" quando transferimos o carinho, o cuidado a aquele que precisam da nossa ajuda, que além de ser sua esposa (o), sua irmã (ao), sua mãe ou seu pai, em Cristo são todos nossos irmãos. Gosto muito dos ditados populares, um está banalizado e mal usado "É DANDO QUE SE RECEBE" que coloca a seu dispor  energias benéficas e salutares, quando usado adequadamente.
Passei recentemente por um grande drama de consciência ao internar uma das minhas irmãs, no início do tratamento ela pediu para nunca ser internada, isso ficou gravado como um contrato registrado no tabelião do coração lutei muito e fiz de tudo para que isso nunca viesse a acontecer, algumas dificuldades funcionais,  administrativas e até financeira começaram a me preocupar, aí veio à ideia que talvez fosse melhor internar em uma instituição que pudesse continuar com a mesma qualidade do atendimento domiciliar.
 Comecei a procurar uma instituição séria que poderia me dar esse suporte de bons cuidados, de tratamentos adequados, de atitudes honestas com profissionais de qualidade, foram anos de procura já estava desistindo quando uma amiga da minha esposa confidenciou que conhecia uma instituição que tinha o que procurava, a princípio achei que seria mais uma em um grande palheiro, fui visitar e ai as energias benéficas e salutares começaram a atuar, como falei anteriormente as "dificuldades"  começaram a pipocar e me obrigaram a identificar  as saídas certas, as "verdades verdadeiras" sem os condicionamentos do ouvi dizer, aqui cabe outro ditado popularizado em uma das novelas da Globo "tudo que acontece de ruim é para melhor" da novela “ETA MUNDO BOM”, eu completaria "DEUS ESCREVE CERTO POR LINHAS TORTAS", mas é  preciso estar devidamente preparado para saber receber as ideias verdadeiras e fazer fluírem ao lugar certo, encontrei  a CASA DE REPOUSO DAS IRMÃS DE SÃO CAMILO, poderia afirmar foi sorte, não foi DEUS e meu anjo da guarda me intuindo, comecei internando minha irmã com Alzheimer para poder avaliar melhor os atendimentos e  internar posteriormente minha irmã com Parkinson, ela foi internada no último  sábado de carnaval.
Sei que cada caso é  um caso diferente, mas venho aqui dar esse depoimento com a alma lavada, mas continuarei, observando fiscalizando e tentando fazer o melhor.


Espero de alguma forma ter ajudado os amigos e irmãos a encontrar uma saída  no fundo do túnel.
Abraços fraternos,
Badu 

15 comentários:

Cesta Familia disse...

Ola,

le seu depoimento e não entende uma coisa questoes administrativas e financeiras, mas com a internação não acha que irá aumentar?

Estou cuidando da minha mãe a 5 meses, ela tem parckison a 23 anos, foi uma medida radical na minha vida. Sou casada, tenho dois filhos e morava em são paulo a anos.

A minha mae morava com meu adrastro e minas, houve um problema familiar, que confesso poderia ter sido evitado e não irei comentar pois na minha opinão foi extremamente creditino o que fizeram, enfim separaram a minha mãe do meu padrastro, juntos a 38 anos, ele com 82 e mae com 77 anos.

Bom, a minha mae se entregou e ficou acamada, com feridas horrorosas pelo corpo e eu em uma das ligações para saber noticias da minha mae, mexeu comigo, ela estava em estado de miséria e sendo cuidada por duas cuidadoras 12 por 36 e uma cuidadora a noite. Acha que mesmo sendo boas pessoa e profissionais, poderiam conseguir passar amor e carinho como alguem da familia?

Detalhe meu irmão do meio mora na cidade e não vai visita-la, não liga, passa na rua da minha mae varias vezes e não para, motivo? muito ocupado.

Estamos muitos ocupados, sempre ocupados e esquecendo que precisamos servir, servir e servir.

Não pensei duas vezes, conversei com meu marido e filhos e fui para casa da minha mae e em seguida vieram meu marido e meus filhos. E duas semanas minha mae ja havia saido da cama, em seguida cadeira de roda, andador e hoje com a ajuda dos profissionais da fisioterapia esta bem melhor.

Tem os pico da doença? muitos alterações de humor, agressividade e não sabe que eu sou. Mas estou la com toda dificulade, falta dinheiro pois os custos são altos e tem a despesa de casa, medicamentos, fisioterapia e etc.

Não estou critiando sua atitude, estou querendo dizer que é muito triste deixar uma pessoa fora presença da familia, ainda mais no caso do parkinsoniano, eles sabem o que esta acontecendo, diferente do Alzheimer que so lembra do passado. Minha mae chora as vezes e lembra do que fazia, do tanto que trabalhou e que ainda tem vontade e não consegue. Ela tem consciencia e acho que a fuga dela é não me reocnhecer com a sua filha, prefere dizer que sou sua irma.

Nunca deixe sem uma visita, pois ela sabe quem você é e precisa de voce.

Boa sorte e muita luz

Ellen disse...

Estou conhecendo uma pessoa, ainda é muito cedo, mas já sento por ele algo maior que um simples carinho. Logo ele me contou que tem parkson juvenil. Estou estudando o assunto mais a fundo pra entender a doença e como ajuda-lo. Ele tem medo de eu sentir pena, mas não sinto pena... ele já me cha,ou atenção pelo sorriso mais lindo que já vi na vida, e eu gostaria que me ajudassem a entender mais a doença e como eu poderia ajuda-lo, quando é necessário ajudar ele? E dizer que esse depoimento posto me deixou bem reflexiva em relação ao caso contado e o caso do rapaz que estou conhecendo... tenho medo dele não confiar em mim e acabar se afastando e estou ciente de que a doença é degenerativa, meu avô tem alzheimer, então sei como isso vai se tornando cada mais sério com o tempo, perder os movimentos, memória... enfim... E desejo muita paz ao autor do depoimento.

Baldoino Soares Badu disse...

Cara amiga foi uma decisão muito importante, quando falo em problemas administrativo é porque a mão de obra confiável é difícil encontramos, problemas financeiros é porque como curador delas tinha que prestar contas de tudo a vara de família.
Mas tudo deve acontecer na hora certa e quando fazemos as coisas da maneira certa as
As energias fluem para o lado do bem.Apesar do tratamento rm casa ter sido perfeito fui obrigado a fazer uma avaliação mais concirntrs das minhas responsabilidade.
Mas digo com a alma lavada acertei no alvo.

Baldoino Soares Badu disse...

É vejo a cada visita que ambas estão sendo bem tratadas.
Isso me deixa muito contente, pois ambas merecem tudo de bom.

Baldoino Soares Badu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Baldoino Soares Badu disse...

Temos um chat semanal onde poderão trocar experiências : www.amigogamp.com.br

Baldoino Soares Badu disse...

É essa notícia é muito importante principalmente aos doentes de Alzheimer, mas não deixa de ser importante para os doentes de Parkinson em estado avançado pois a demência pode se instalar e transitar para o Alzheimer.
Fico especialmente espantado, pois minha irmã com Parkinson avançado com Parkinson com 92 anos, encontra-se mentalmente melhor que a outra irmã de 84 anos, uma está postada em cama não anda, alimenta-se de maneira enteral, a outra com Alzheimer anda, come pela boca, mas mentalmente não podemos comparar com a outra. Os médicos atestam que a primeira mentalmente está bem melhor, isso tem criado uma discussão na família, alguns acham que a primeira está apenas vegetando e que não podemos fazer mais nada. Agora tenho muitas esperanças em dar melhores condições a segunda, isso estamos conseguindo a partir de de uma internação na Casa de Repouso das Irmãs de São Camilo, onde encontrei uma
qualidade de vida muito diferente de quando o tratamento era domiciliar.
Estamos deveras contentes com a nova fase dos tratamentos, não foi nada fácil tomar essa decisão, mas os acontecimentos me motivaram,
deixei o lado sentimental e agi com sabedoria e muita coragem, mas sei que foi Deus que nos intuio e me deu as condições para tomar essa decisão, hoje atesto que foi a melhor coisas que fiz , sei agora que isso deveria ter sido feito a mais tempo.
A matéria está no grupo da ABC no Facebook.

Baldoino Soares Badu disse...

Digo... no grupo da Associação Brasil Parkinson no Facebook.

Baldoino Soares Badu disse...

Digo... no grupo da Associação Brasil Parkinson no Facebook.

Baldoino Soares Badu disse...

Sei que existem casos e casos não quero motivar ninguém a retirar seu ente do convívio familiar para internar em qualquer clínica eu levei anos pesquisando e visitando muitas clínica, o custo de um apartamento está em torno de 7.500,00 elas são tem uma pensão que permitiu a internação.
Agora estamos gastando menos e estamos conquistando qualidade de vida.

Baldoino Soares Badu disse...

Sei que existem casos e casos não quero motivar ninguém a retirar seu ente do convívio familiar para internar em qualquer clínica eu levei anos pesquisando e visitando muitas clínica, o custo de um apartamento está em torno de 7.500,00 elas são tem uma pensão que permitiu a internação.
Agora estamos gastando menos e estamos conquistando qualidade de vida.

Baldoino Soares Badu disse...

É essa notícia é muito importante principalmente aos doentes de Alzheimer, mas não deixa de ser importante para os doentes de Parkinson em estado avançado pois a demência pode se instalar e transitar para o Alzheimer.
Fico especialmente espantado, pois minha irmã com Parkinson avançado com Parkinson com 92 anos, encontra-se mentalmente melhor que a outra irmã de 84 anos, uma está postada em cama não anda, alimenta-se de maneira enteral, a outra com Alzheimer anda, come pela boca, mas mentalmente não podemos comparar com a outra. Os médicos atestam que a primeira mentalmente está bem melhor, isso tem criado uma discussão na família, alguns acham que a primeira está apenas vegetando e que não podemos fazer mais nada. Agora tenho muitas esperanças em dar melhores condições a segunda, isso estamos conseguindo a partir de de uma internação na Casa de Repouso das Irmãs de São Camilo, onde encontrei uma
qualidade de vida muito diferente de quando o tratamento era domiciliar.
Estamos deveras contentes com a nova fase dos tratamentos, não foi nada fácil tomar essa decisão, mas os acontecimentos me motivaram,
deixei o lado sentimental e agi com sabedoria e muita coragem, mas sei que foi Deus que nos intuio e me deu as condições para tomar essa decisão, hoje atesto que foi a melhor coisas que fiz , sei agora que isso deveria ter sido feito a mais tempo.
A matéria está no grupo da ABC no Facebook.

Baldoino Soares Badu disse...

É essa notícia é muito importante principalmente aos doentes de Alzheimer, mas não deixa de ser importante para os doentes de Parkinson em estado avançado pois a demência pode se instalar e transitar para o Alzheimer.
Fico especialmente espantado, pois minha irmã com Parkinson avançado com Parkinson com 92 anos, encontra-se mentalmente melhor que a outra irmã de 84 anos, uma está postada em cama não anda, alimenta-se de maneira enteral, a outra com Alzheimer anda, come pela boca, mas mentalmente não podemos comparar com a outra. Os médicos atestam que a primeira mentalmente está bem melhor, isso tem criado uma discussão na família, alguns acham que a primeira está apenas vegetando e que não podemos fazer mais nada. Agora tenho muitas esperanças em dar melhores condições a segunda, isso estamos conseguindo a partir de de uma internação na Casa de Repouso das Irmãs de São Camilo, onde encontrei uma
qualidade de vida muito diferente de quando o tratamento era domiciliar.
Estamos deveras contentes com a nova fase dos tratamentos, não foi nada fácil tomar essa decisão, mas os acontecimentos me motivaram,
deixei o lado sentimental e agi com sabedoria e muita coragem, mas sei que foi Deus que nos intuio e me deu as condições para tomar essa decisão, hoje atesto que foi a melhor coisas que fiz , sei agora que isso deveria ter sido feito a mais tempo.
A matéria está no grupo da ABC no Facebook.

Baldoino Soares Badu disse...

Digo... no grupo do facebook da ABP

Baldoino Soares Badu disse...

Digo... no grupo do facebook da ABP